www.engenharia-brasil.com
Mitsubishi Electric BR

A produção industrial japonesa no "Novo Normal"

Distanciamento social, proteção dos funcionários, renovação de operações e máquinas, atualização das lacunas da cadeia de suprimentos. Assim como a sociedade como um todo, os fabricantes estão enfrentando muitos desafios adicionais que não esperavam e, acima de tudo, com orçamentos reduzidos. Então, como você navega pela nova norma de manufatura?

A produção industrial japonesa no Novo Normal

Como uma solução ágil para o distanciamento social, os colaboradores da fábrica usam protetores faciais e máscaras.

"Os fabricantes agora estão tentando se adaptar às mudanças nas condições devido ao início da normalização da pandemia. Por exemplo, como você implementa o distanciamento social em uma fábrica?" disse Hajime Sugiyama, Especialista de IoT Industrial da Mitsubishi Electric.

É uma questão muito interessante, pois há mais adaptações e mudanças do que a maioria das pessoas pensam. Começando pelos colaboradores industriais que precisam fazer o uso de protetores faciais e máscaras e, de fato, muitas indústrias têm tradicionalmente usado tais EPIs (Equipamentos de Proteção Individual), visto como uma forma de precaução e higiene ou até mesmo como um ambiente limpo para indústrias que produzem alimentos, medicamentos, eletrônicos e semicondutores sensíveis. Porém estes EPIs nem sempre são ideais para todo tipo de indústria. Por exemplo, em ambientes quentes ou úmidos, o uso de máscara pode aumentar os riscos de exaustão por calor, portanto, deve-se ter cuidado para realmente não comprometer a saúde do trabalhador em seu ambiente de trabalho. Alguns gerentes de fábrica estão considerando o uso de telas entre seus colaboradores, mas isso também não é uma solução, pois pode haver problemas de espaço e movimento restrito, bem como possíveis problemas de acesso a dispositivos de emergência ou dispositivos industriais ou que simplesmente atrapalhe em visibilidade.

Além destes obstáculos, Sugiyama complementa dizendo: "Muitos fabricantes estão se concentrando no distanciamento social aplicando alternação de turnos. Com isso, é necessário controlar cada turno de trabalho para que menos pessoas trabalhem juntas ao mesmo tempo evitando a transmissão de vírus dentro da fábrica. Logo, tudo isso se torna um novo conjunto de desafios."

Embora o equilíbrio dos padrões de turnos forneça aos gerentes de fábrica um nível de redundância operacional, ou seja, se um turno precisar ser "suspenso" devido a uma infecção, o segundo e / ou terceiro turno podem continuar os negócios normalmente depois que a fábrica teve uma limpeza completa. É uma forma para que se tenha menos pessoas trabalhando e naturalmente isso pode diminuir a produtividade. Então, como você se opõe a esta redução?


A produção industrial japonesa no Novo Normal

"Muitos fabricantes estão se concentrando no distanciamento social por meio de gerenciamento de turnos alternados", disse Hajime Sugiyama, Especialista de IoT Industrial do Grupo de Sistemas de Automação de Fábrica da Mitsubishi Electric Corporation.

Deixe o seu robô colaborativo assumir o controle

“Construir soluções de automação extensas requer muito tempo, orçamento e planejamento”, diz Sugiyama, “e nestes tempos em que os fabricantes querem começar a operar de forma rápida e flexível, esses três recursos provavelmente estarão em falta”.

E qual é a alternativa neste caso? Uma solução possível é o aumento do uso de robôs colaborativos. Normalmente, esses dispositivos podem ser implantados rapidamente de forma flexível, sendo treinados de forma rápida para realizar uma variedade de tarefas. Ou seja, você não precisa ter grande experiência em robótica. Além disso, é possível reduzir ainda mais as cargas de programação, oferecendo a adaptação do caminho de viagem ao vivo para que o robô possa navegar dinamicamente em torno de obstáculos, como humanos, outros robôs e semelhantes.


A produção industrial japonesa no Novo Normal

Nem sempre as telas são viáveis, então os robôs colaborativos podem ser usados.

Alguns gerentes de fábrica estão considerando o uso de telas entre os trabalhadores, mas isso não é uma solução para o problema, pois pode haver limitações operacionais. Uma solução possível é o aumento do uso de robôs colaborativos industriais como na imagem acima.

“É claro que não será a mesma solução para todos, o que exigirá de flexibilidade para adotar a melhor solução para cada caso com mecanismos colaborativos. Utilizar mais o trabalho remoto é uma excelente alternativa.”, afirma Sugiyama.

Remoto não é apenas para trabalhadores em casa

O retorno de operações completas, com reinicialização de processos e linhas, muitas vezes revela problemas subjacentes que não eram visíveis anteriormente e cria um pesadelo de manutenção de proporções inquestionáveis. O acesso remoto é um benefício importante, mas se o dispositivo que você está acessando não for inteligente, o valor é drasticamente reduzido, pois a quantidade de informações é restrita. No entanto, se você tiver a sorte de usar dispositivos de automação inteligentes com graus de autodeterminação e diagnósticos abrangentes, a resolução de problemas com manutenção, pode ser acelerada.

Todos os dispositivos de automação são inteligentes?

“Embora o desempenho/função do produto essencial seja semelhante, engana-se quem pensa que todos os produtos são iguais; por exemplo, não se aplica dizer que todos os drives são idênticos”, afirma Sugiyama.

Como exemplo, muitos usuários tradicionais dos inversores da Mitsubishi Electric estarão familiarizados com recursos simples, como um ventilador de 3 fios, cujo significado só se torna aparente em tempos como agora. O benefício é a capacidade de diagnosticar a integridade do ventilador - o que, por sua vez, ajuda a prolongar a vida útil do inversor. Em produtos mais recentes, existem sensores ambientais exclusivos nas placas de circuito para detectar efeitos de atmosferas corrosivas ou poluídas, o que é complementado pela fusão de comunicações, inteligência e IA por meio do hardware do inversor e do software do parceiro para fornecer diagnósticos de manutenção avançados.

Sugiyama explica: “Os avanços na tecnologia do produto não se limitam à 'função externa' do dispositivo, mas também em como sua vida operacional é gerenciada e isso significa KPIs de manutenção e desempenho - mas tal conhecimento não pode permanecer preso dentro do produto e realmente se destaca quando pode ser acessado remotamente pelas equipes de manutenção.”

IIoT, Industria 4.0, entre outros termos, já são comentados há anos, porém em seu centro está o processo de comunicação, extração de dados e análises subsequentes. No entanto, muitas vezes, quando os gerentes industriais consideram soluções de acesso remoto, eles temem um sistema SCADA grande e extenso e toda a parafernália associada. É verdade que esses sistemas abrangentes são excelentes para capturar grandes quantidades de dados, fornecendo alarmes, análises e revisar dados históricos, mas como mencionado anteriormente, eles levam tempo para planejar e instalar corretamente. Outras soluções remotas mais viáveis, como a conexão de uma IHM no chão de fábrica para imitar a tela local ou acessando dados por meio de uma interface sem fio para finalmente, até a tendência mais recente de utilizar controladores Edge.

E qual seria a nova norma?

Na verdade, para Sugiyama, ele resume como “Uma abordagem prática é crítica. Às vezes, a resposta é simplesmente uma tela de partição, outras vezes é um investimento em um robô colaborativo, mas as palavras-chaves são flexibilidade, escalabilidade e foco nos resultados. Sendo assim, talvez a nova norma esteja realmente nos lembrando de identificar o que é importante.”

A Mitsubishi Electric oferece uma vasta gama de tecnologias de automação e processamento que ajudam a trazer maior produtividade e qualidade para o chão de fábrica. e-F@ctory é o conceito integrado da Mitsubishi Electric para construir sistemas de manufatura confiáveis e flexíveis que permitem aos usuários alcançar muitas de suas aspirações de manufatura orientadas a informações e alta velocidade.


 

 

  Peça mais informações…

LinkedIn
Pinterest

Junte-se aos mais de 15 mil seguidores do IMP